Aventura Segura

Segurança no turismo de aventura

A edição de abril da Revista Viagem e Turismo, em sua seção Coordenadas, trouxe uma matéria muito interessante sobre a segurança nas atividades de aventura.

A jornalista Camilla Veras Mota ressalta a importância em procurar por empresas que exploram a atividade de forma consciente e que seguem à risca às normas de gestão de segurança da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e são associadas à ABETA - Associação Brasileira das Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura.

Veja abaixo um trecho da reportagem:

Perto do chão –  Atividades como caminhada não costumam matar mas é comum praticantes se perderem na mata ou serem picados por insetos ou cobras. É bem fácil evitar esses contratempos. A dica é sempre utilizar sapatos fechados, mochila (e assim ficar com as mãos livres), boné e roupa confortável. Um cantil e uma lanterna, com pilhas reservas, são essenciais.

Perigo na água - Vai mergulhar? Então, pela legislação brasileira, você deve demonstrar, por cinco minutos, que sabe nadar. Do contrário, não se arrisque em batismos por aí. Já no rafting, o condutor deve ter ficado no mínimo oito meses como condutor supervisionado e conhecer técnicas de resgate aquático. “